quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O pai e o parto


Hoje no meu fórum preferido de permacultura falava-se sobre "nascer em casa",em resposta a uma pré-mama indecisa sobre parir ou não em casa, eis que um pai, que já passou por essa experiência lhe responde á questão, sim, um pai, porque os pais também fazem parte do parto, são um apoio fundamental a todo o processo e também para eles é uma etapa maravilhosa da sua vida!O nascimento de uma filho amado e 9 meses desejado! Muitas vezes sinto que são os pais os mais inseguros e receosos durante a gravidez, sinto que também tenho que ser doula para eles, de os apoiar e guiar no seu caminho, também eles passam por muitas mudanças e emoções que precisam de ser abraçadas com confiança. E por isso deixo-vos aqui, a vocês pais, a resposta de um pai em relação ao parto em casa(Obrigado Zé Carlos!):

Olá amigos e amigas :)
Antes de mais, muitos parabéns Moabi e muita saúde e paz para ti e dentro de ti!
Estou feliz por ter criado este grupo, pois já pus em contacto uma futura mãe e uma doula!
Moabi, querida, a minha mulher tem 1,50 (porque ela não gosta de dizer 1,49) :)
e o Samuel nasceu com 3,4Kg :)
Mais tranquila ? :)
Tal como nós tivemos, tu também vais ter muitos assaltos na tua cabeça, e muitas razões (desculpas) vais encontrar para não teres a tua criança em casa.
Mas isso é um processo que vai acontecendo e o questionamento é o fortalecer dessas decisões que tem que amadurecer em nós.
Nós sentiamo-nos capazes de ter o Samuel sozinhos, mas graças a Deus que a Ana Ramos, qual anjo na terra, estava em nossa companhia e nos prestou o seu sagrado serviço.
Quando um parto leva 24h ou 4 dias, convém ter tecnologia presente para saber os batimentos do bebé e convém ter alguém experiente que te dá segurança, que é o que mais é preciso para nascer.
Enquanto os batimentos do bebé estão bem, os únicos limites serão o teu cansaço. A Diana levou 24h para trazer o Samuel, mas outra mãe a seguir levou 4 dias, já de águas rebentadas...
Tudo isso é natural e a Sofia pode confirma-lo :)
Nos podemos falar por experiência, isto porque a Luz(2 anos e meio) nasceu no Hospital, no processo que hoje chamam de "normal" que nada tem de normal nem de humano.... apenas de pura violência e submissão do processo. E o Samuel(9 meses) nasceu em casa, no nosso ambiente, nosso cheiro, nas nossas cores, no nosso quarto. Não conhece médicos (só o homeopata) e é um rapaz lindo e saudável :)
Há muitos conselhos que podemos dar-te e daremos se os quiseres.
Mas o principal e que eu considero mais importante é o seguinte:
Aconteça o que acontecer, seja como for, seja onde for, não te esqueças que este processo é TEU, é o processo mais intimo e pessoal que alguma vez podes ter na Vida, e é suposto ser assim, pois cada nascimento é único, e não há médico nenhum à face da Terra, principalmente homem, que poderá dizer a uma mulher como dar à luz, quando e como fazer força... etc...
É extremamente importante que sejas tu a sentir e a controlar todo o processo do inicio ao fim. e acredita que isso te vai ajudar no nascer, e te vai dar uma maminha forte e saudável e não te vai deixar com a famosa depressão pós-parto. Porque teria o mais maravilhoso processo da Natureza ter que deixar a mulher fortemente deprimida? Não tem. Isso acontece pela imposição que praticam na mulher durante todo o processo. Desde a posição, ao ambiente inserido, à estranheza das pessoas à volta, às ordens de fazer isto aquilo e o outro, o afastamento do pai depois do nascer, o retirar a criança da mãe e lava-la de imediato e cortar o cordão enquanto ainda pulsa, roubando assim uma enorme fonte de ferro necessária ao bebé...
Bem, poderia dar-te mil razoes para não ires para um hospital. mas isso tem que ser o teu processo, e mesmo que decidas ter em casa, a opção do hospital nunca pode ser posta de parte pois podes precisar de ir para la e é preciso também estar pronta para isso.
Por isso o meu conselho é: Seja onde for, que seja o TEU parto e do teu companheiro.
Se tiveres que ir para um Hospital comum, tens Leis sobre as que podes reinvidicar os teus direitos ao teu processo. mas tens que levar a carta escrita e ter sorte com o médico que apanhares.
Como em tudo na vida, temos que fazer o que podemos, o melhor que podemos.

4 comentários:

  1. Obrigado Sofia por partilhares a tua e a sabedoria de outros.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado a vocês por me acompanharem!Sabedoria todos temos, estamos em constante aprendizagem..:)

    ResponderEliminar